sexta-feira, agosto 12, 2022
InícioEconomiaAlta do aço em 72% durante um ano prejudica a indústria

Alta do aço em 72% durante um ano prejudica a indústria

Construção civil já solicitou formalmente ao governo a abertura do mercado internacional para compra do insumo do aço, com redução de 12,1%, na alíquota de importação.

A alta expressiva dos insumos afeta crescimento econômico da indústria e a conta é endereçada ao consumidor. Somente em relação ao aço, o aumento nos últimos doze meses, até maio, é de 72,6%. O mundo vive um momento de valorização das commodities, mas o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos, José Velloso, avalia que a importação, mesmo tarifada, começa a ser viável. “O aumento de preço aqui no Brasil vinha acompanhando o aumento no exterior. No entanto, a partir de fevereiro e março de 2021, embora a questão do desabastecimento tenha melhorado, o preço descolou do preço mundial. Ou seja, eu trago um aço lá de fora e coloco aqui, pagando frete, pagando impostos, pagando tudo, fica mais barato que o aço que compro aqui.”

O setor automobilístico é também um dos principais compradores de aço. O presidente da Anfavea, Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos, Luiz Carlos Moraes, reforça a preocupação com o fornecedores, que não possuem uma capacidade de negociação semelhante a das montadoras e abala o setor automotivo. “Isso continua sendo o desafio que está impactando o nosso custo na veia. Aço é aumento na veia e isso, de alguma forma, em algum momento, vai ser repassado para o consumidor”, pontua Luiz Carlos.

Outro setor fortemente atingido, a construção civil já solicitou formalmente ao governo a abertura do mercado internacional ao aço, com redução de 12,1%, na alíquota de importação. Pesquisa da Fundação Getúlio Vargas aponta alta de 38,66% nos custos no segmento nos últimos 12 meses, o maior em 28 anos. A disparada do aço está relacionada à retomada econômica da China e os Estados Unidos, com pacotes trilionários em infraestrutura. A Câmara Brasileira da Indústria da Construção avalia que o aumento de custo pode desincentivar projetos voltados às rendas mais baixas.

(com informações da Jovem Pan)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias