segunda-feira, agosto 15, 2022
InícioPolíticaBolsonaro acerta filiação ao PL, após conversa com Valdemar

Bolsonaro acerta filiação ao PL, após conversa com Valdemar

Cerimônia ocorrerá em Brasília, no dia 22 de novembro; presidente da República Bolsonaro está sem partido desde novembro de 2019, quando deixou o PSL.

A assessoria de imprensa do Partido Liberal (PL) confirmou, nesta quarta-feira, 10, a filiação do presidente Jair Bolsonaro à legenda. O martelo foi batido após uma conversa do mandatário do país com o presidente nacional da sigla, Valdemar Costa Neto, preso no escândalo do Mensalão. O encontro ocorreu no Palácio do Planalto. A cerimônia está programa para o dia 22 de novembro e ocorrerá em Brasília. Costa Neto deve se pronunciar sobre o acerto ainda hoje.

Bolsonaro ainda não se manifestou publicamente sobre o assunto, mas em entrevista à Rádio Cultura, do Espírito Santo, o presidente da República afirmou que as chances de ingressar no partido do Centrão era de 99,9%. “Hoje vou conversar com Valdemar Costa Neto e acho que devemos bater o martelo. Só tem um pequeno detalhe que envolve São Paulo, que tem 30 milhões de eleitores, é o segundo maior PIB do país, depois da União. Se eu vier a disputar a reeleição, quero ter candidato ao governo de São Paulo, ao Senado e uma bancada de indicados [ao Congresso]. Falta acertar esse pequeno detalhe com o Valdemar, que acredito que acerte hoje”, disse.

A filiação de Bolsonaro ao PL foi antecipada pela Jovem Pan. Na segunda-feira, 8, dirigentes estaduais da legenda foram avisados do acerto entre o presidente da República e Valdemar Costa Neto. O chefe do Executivo federal vinha sendo cortejado pelo Progressistas (PP), comandado pelo ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira. Agora, PL e PP trabalham para avançar em um acordo visando as eleições presidenciais do ano que vem. Neste cenário, os pepistas indicariam o vice para a chapa do mandatário do governante do país.

Bolsonaro está sem partido desde novembro de 2019, quando deixou o PSL, partido pelo qual foi eleito no pleito de 2018. Aliados vinham aconselhando o presidente a se filiar ao PL por três motivos. Primeiro, porque o comando da agremiação está concentrado nas mãos de Valdemar Costa Neto – no PP, em contrapartida, há outros caciques, como o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e o líder do governo na Casa, Ricardo Barros (PP-PR). Além disso, há menos arestas a serem aparadas na composição política. No Progressistas, por exemplo, havia forte resistência ao mandatário do país, sobretudo, na Bahia e em Pernambuco. Por fim, no entorno presidencial prevalecia o entendimento de que a aliança com a legenda de Ciro Nogueira já está consolidada. Com o casamento com os liberais, dizem, o eventual segundo mandato do chefe do Executivo federal contaria com o apoio de duas das maiores bancadas da Câmara.

Com informações do portal Jovem Pan.

CAPA FIXA DE NOVEMBRO COVID

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias