quarta-feira, agosto 10, 2022
InícioGeralOperação Olaria: juiz revoga prisões e aponta ilegalidade em processo

Operação Olaria: juiz revoga prisões e aponta ilegalidade em processo

Decisão revoga prisão preventiva de seis pessoas presas na Operação Olaria e aponta irregularidades no andamento do processo.

O juiz da comarca de Canindé do São Francisco, Paulo Roberto Fonseca Barbosa, revogou a prisão preventiva de seis suspeitos presos em 2019 na Operação Olaria, que investigava os crimes de homicídio, tráfico de drogas e latrocínio no sertão de Sergipe. O magistrado considerou que não há indícios suficientes para manter a autoria delitiva e apontou irregularidades e ilegalidades ao longo do processo.

Os seis suspeitos beneficiados com a decisão são: Antônio Marcos dos Santos Silva, conhecido como “Roló”, Isaque Ferreira da Silva, Jean da Silva Santos, Matheus Feitosa Santos, Yuri Renan Feitosa Santos e José Bruno Rodrigues da Silva, presos em 2019. Alguns deles não poderão ser soltos em virtude de possuírem mandados de prisão por outros crimes.

Os réus estão obrigados a comparecer em juízo a cada 30 dias, para informar e justificar suas atividades, bem como comunicar seu endereço atualizado; e também proibidos de ausentar-se da comarca. Eles ainda deverão cumprir recolhimento domiciliar no período noturno (20h às 6h) até que seja encerrada a instrução criminal; e utilizar tornozeleira eletrônica.

Na decisão, o magistrado anula o Relatório de Missão Policial nº 075/2019 e aponta que houve graves irregularidades e ilegalidades no processo, envolvendo dúvidas no relatório policial. Ainda na decisão, o juiz solicita à Corregedoria de Polícia Civil e ao Delegado de Polícia Regional informações sobre as diligências que resultaram nas prisões.

Portal Infonet ouviu a Polícia Civil sobre caso, que informou que não comenta decisões judiciais e que todas as dúvidas surgidas no âmbito de processos na Justiça são respondidas por meios próprios disponibilizados à Polícia Judiciária. A respeito da conduta dos policiais civis, a informação é que caberá à Corregedoria da Polícia Civil, assim que for notificada, ouvir os policiais e adotar medidas corretivas no caso concreto.

Relembre

Uma operação conjunta entre as Polícias Civil e Militar em 2019 resultou na prisão de várias pessoas suspeitas de crimes de tráfico de drogas, homicídio e latrocínio praticados no alto sertão sergipano. Na primeira fase, no dia 24 de julho, sete pessoas foram presas e um homem morreu em confronto com a polícia. Na segunda fase, no dia 29 de agosto, mais duas pessoas foram presas, entre eles um adolescente.

Com informações de Karla Pinheiro, do portal Infonet.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias