domingo, agosto 7, 2022
InícioEsportesSintese cobra antecipação da 2ª dose da vacina para professores

Sintese cobra antecipação da 2ª dose da vacina para professores

Em reunião virtual, o Sintese reivindica ao Governo do Estado antecipação da 2ª dose da vacina contra covid-19 para os professores, no sentido de proporcionar retorno seguro das aulas na rede estadual de ensino.

Representantes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Sergipe (Sintese) se reuniram na última sexta-feira, 2, como secretário de Educação, Josué Sobrinho, para tratar dentre outras pautas, do retorno das aulas presenciais na rede estadual de ensino, anunciadas pelo Governo de Sergipe para acontecer no dia 17 de agosto.

Para o Sindicato, o problema do retorno às aulas presenciais não é a data, mas as condições sanitárias, pedagógicas e a imunização dos trabalhadores, pontos fundamentais para que se tenha um retorno seguro.

Ainda segundo o Sintese, foi pedido ao secretário que a aplicação da segunda dose da vacina contra a covid-19 dos professores, seja antecipada para o final de julho, para que o esquema vacinal esteja completo na data de retorno das aulas presenciais.

Também foi solicitado ao gestor a criação de um comitê, formado pela Secretaria de Educação, Sintese e outras entidades, para discutir as questões sanitárias e pedagógica. O objetivo do comitê é construir um retorno presencial que preze pela segurança e que busque também superar os desafios do ensino e da aprendizagem após um ano e meio de aulas remotas, por conta da pandemia.

Seduc

A Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura (Seduc) informou que nesta quarta-feira, 7, fará uma reunião com as diretorias regionais para alinhar o pedido de antecipação da segunda dose à Secretaria de Estado da Saúde (SES).

Sobre a criação do comitê, a Seduc informou que lançou um plano de retomada com orientações pedagógicas e sanitárias em novembro do ano passado, quando aconteceu o retorno das aulas presenciais dos 3º anos do ensino médio, e que a proposta é debater a revisão desse protocolo com toda comunidade escolar, incluindo o Sintese.

Com informações de Karla Pinheiro, do portal Infonet.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Últimas Notícias